Congresso Brasileiro de Energia Renovável discute o potencial do Hidrogênio Verde para alcançar a neutralidade climática

Foto/Imagem: Foto: Group Publishing

Energia Renovável sendo discutida

Simpósio reunirá especialistas do setor e apresentará desenvolvimento de projetos que usam essa fonte renovável

O Hidrogênio Verde, que é considerado o combustível do futuro em razão da baixa emissão de carbono, ganha destaque no Congresso Brasileiro de Geração de Energia Renovável – Ecoenergy, que ocorrerá no WTC Events Center, em São Paulo. O evento, que acontecerá entre os dias 20 e 22 de setembro, trará um painel especial intitulado ‘Oportunidades e desafios no desenvolvimento de projetos integrados de energia renovável e hidrogênio’, marcado para o dia 22 de setembro, às 16h30.

A busca pela neutralidade climática até 2050 tem impulsionado a adoção do Hidrogênio Verde como peça-chave nessa jornada. O simpósio, que reunirá especialistas do setor, apresentará análises sobre o desenvolvimento de projetos que utilizam essa fonte renovável e discutirá o cenário político-global e as oportunidades para sua implementação.

A Head de descarbonização e ESG da PSR Energy Consulting, Luana Gaspar, destacou a importância do Hidrogênio Verde para atingir as metas de redução das emissões de carbono até 2050, uma meta compartilhada por diversos países. A produção desse tipo de hidrogênio é obtida através da eletrólise da água, utilizando fontes de energia renovável, e sua versatilidade permite seu uso em setores como aviação, transporte marítimo, transporte de longa distância com caminhões e também na indústria para produção de aço, fertilizantes e plásticos.

Segundo ela, o principal desafio ainda é o custo do Hidrogênio Verde, que é cerca de quatro vezes maior do que o do hidrogênio convencional (Hidrogênio Cinza), produzido a partir do gás natural. Para superar esse entrave, o Brasil precisa encontrar consumidores dispostos a pagar o valor adicional. “Com a Europa querendo atingir sua meta de importação de 10 milhões de toneladas até 2030, pode ser que surjam modelos de incentivo europeus para projetos de produção externa, permitindo em alguns casos a formação de contratos de longo prazo para a compra desse hidrogênio”, explica.

Especialistas acreditam que o Brasil tem grande potencial para se tornar um importante exportador de Hidrogênio Verde no médio ou longo prazo, desde que o custo seja reduzido para tornar o negócio escalável e competitivo em relação ao hidrogênio convencional. O país possui uma matriz energética com alto nível de renováveis e ampla capacidade de expansão das tecnologias de geração renovável, o que favorece a produção em escala desse combustível sustentável.

Luana ressalta que no curto prazo, o Hidrogênio Verde brasileiro seria destinado para exportação, mas à medida que seu custo se reduzir e políticas governamentais para redução das emissões forem adotadas, o mercado doméstico também poderá absorver essa fonte de energia limpa. Além disso, há potencial para o Hidrogênio Verde ser utilizado como matéria-prima em outros produtos verdes de maior valor agregado, como a fabricação de fertilizantes a partir de sua produção via eletrólise ou biometano.

Serviço

Congresso Ecoenergy 2023

Data: 20 a 22 de setembro

Local: World Trade Center Events Center

Endereço: Avenida das Nações Unidas, 12.551, Brooklin Novo, São Paulo, Brasil

Inscrições: https://congressoecoenergy.com.br/

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente. Para as publicações patrocinadas: Imagens de produtos, informações sobre serviços e citações são inteiramente de responsabilidade da empresa que patrocina a publicação.

Publicidade

Este site utiliza cookies e tecnologias para personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao navegar em nosso site você aceita nossa  Política de Privacidade.